Cadastre-se e receba novidades:

Nome


E-mail

Bebe Frances – Stud Ilse

Deluge – Coudelaria Palura Mirim

Emerald Lady – Stud Wall Street

Joka Tango – Stud Lagoa 26

Maestro da Serra – Stud Cajuli

Neshama – Ulisses Lignon Carneiro

Pedra Petra Sarge – Stud Elle et Moi

Isola Di Fiore – Haras do Morro

Gata do Vizinho – Sinval Domingues de Araujo

George Valentin – Sinval Domingues de Araujo

Veramente Buono – Haras Old Friends

Evoque – Sinval Domingues de Araujo

Back And Forth – Stud Lagoa 26

Nikki Beach – Stud Wall Street

Imortallity Point – Stud Snob

Magic Citizen – Coudelaria Jessica

Kurdish – Stud Capitão

Justo Mano – Haras Di Cellius

Leodegrance – Sinval Domingues de Araujo

Real Woman – Stud Gold Black

Patureba – Sinval Domingues de Araujo

Japanese Morning – Stud Capitão

Hacienda Florida – Stud Palurape

Kremlin – Stud Hulk

Guaruman – Haras Planicie

Knowing – Stud Capitão

Angus – Jorge Olympio Teixeira dos Santos

Coldplay ? Stud Hulk

Carrocel Encantado – Sinval Domingues de Araujo

Magic Citizen – Coudelaria Jessica









Preciosidades: Sweet Eternity, a grande pérola do Haras São José da Serra
15/05/2010 - 01h46min

www.turfebrasil.not.br

Sweet Eternity, a grande vencedora do "São Paulo" de 99
Do modelar Haras São José da Serra, a brilhante Sweet Eternity, uma Effervescing e Sweet Honey, por Egoismo, foi a pérola maior. Como égua. O diamante absoluto, é claro, foi Sandpit. Mas um élévage que ainda produziu Sweet Honey (bela corredora e notável mãe, como lemos ligeiramente acima inclusive de nossa homenageada de hoje), Straight Flush, Suspicious Mind, Sirena, Time For Fun, entre outros, todos ganhadores de Grupo I.

A vitória desta magnífica corredora no Grande Prêmio São Paulo (Grupo I), em 1999, de forma insofismável, é o que a foto do Preciosidades de hoje, o que encerra a nossa série sobre as provas mais importantes do Festival São Paulo, mostra.

Antes, igualmente em estilo de animal de exceção, já havia vencido, na grama carioca, o Oaks (GP Diana, Grupo I), em 2 mil metros, e o Vermeille (GP Marciano de Aguiar Moreira, Grupo I), em 2 mil 400 metros, exatamente as duas últimas etapas da tríplice coroa feminina do Jockey Club Brasileiro.

Depois, em exibição inesquecível e que marcou o seu adeus (precoce) aos turfistas brasileiros, venceu o principal trial ao GP Brasil (Grupo I), a milha e meia do GP 16 de Julho (Grupo I).

Ela foi, por tudo, uma craque rara cujo nome engrandece a galeria dos campeões do São Paulo. Muitos a viram correr. Todos devem ter saudade. Todos devem pensar que acabou tendo uma campanha brasileira muito pequena, o que foi uma pena.

Fica-se pensando o que ela ainda poderia ter vencido e que espetáculos maravilhosos poderia ter-nos proporcionado.

Seu nome diz tudo, aliás: Sweet Eternity, Doce Eternidade.

da Redação


<< Página anterior













12.812

12.844





















Coudelaria Atafona

Coudelaria FBL

Coudelaria Intimate Friends

Coudelaria Jessica

Coudelaria Pelotense

Haras Iposeiras

Haras Depigua

Haras do Morro

Haras Fazenda Eldorado

Haras Old Friends

Haras Planície

Haras Vale do Stucky

Jorge Olympio
Teixeira dos Santos

Ronaldo Cramer
Moraes Veiga

Stud 13 de Recife

Stud Beto e Fafa

Stud Brocoió

Stud Cajuli

Stud Capitão

Stud Cariri do Recife

Stud Elle Et Moi

Stud Everest

Stud Gold Black

Stud Hulk

Stud Ilse

Stud La Nave Va

Stud Mengão 1981

Stud Palura

Stud Quando Será?

Stud Recanto do Derby

Stud Rotterdam

Stud Sergio Barcellos

Stud Spumao

Stud Terceira Margem

Stud TNT

Stud Turfe

Stud Wall Street

  Associação Carioca dos Proprietários do Cavalo Puro-Sangue Inglês