Cadastre-se e receba novidades:

Nome


E-mail

Imortal Glory – Haras do Morro

Special Envoy – Stud AllStar Brasil

Energia Istambul – Stud Ilse

Tea Time – Stud Nunes de Miranda

Express do Faxina – Stud AllStar Brasil

Indian Spring – Stud Elle et Moi

Guanabara – Stud Verde

Messiânico – Stud AllStar Brasil

Hotel Dorchester – Stud Cariri do Recife

Salabria – Stud All Star Brasil

Baccos – Stud Cajuli

Guanabara – Stud Verde

Special Envoy – Stud All Star Brasil

Hotel Dorchester – Stud Cariri do Recife

Dr. Phelipe – Stud Cariri do Recife

Real Woman – Stud Gold Black

Que Az – Stud Gold Black

Deluge – Stud Allstar Brasil

Hello Cat – Haras Planície

Hotel Dorchester – Stud Cariri do Recife

Energia Icon – Stud Snob

Nikito – Stud Spumão

Guanabara – Stud Verde

Bebe Frances – Stud Ilse

Great Canal – Coudelaria F B L

Dr. Phelipe – Stud Cariri do Recife

Deep Moment – Jorge Olympio Teixeira dos Santos

Sweet Nana – Stud Hulk

El Topo – Haras do Morro

Hotel Dorchester – Stud Cariri do Recife








Abril | 2017

Páreo Corrido, por Paulo Gama
11/04/2017 - 09h39min

NO REGRETS, A QUINTA PEDRA PRECIOSA DA TRÍPLICE-COROA CARIOCA

A gloriosa história da tríplice-coroa de potrancas no turfe do Rio de Janeiro tinha apenas quatro pedras preciosas até o último domingo: Indian Chris, Virginie, Be Fair e Old Tune. O número reduzido de tríplices-coroadas depois de tantas edições refletia bem a dimensão e o grau de dificuldade deste feito. O Grande Prêmio Zélia Gonzaga Peixoto de Castro tinha apenas 10 concorrentes, entre elas, a campeã No Regrets, ganhadora das duas primeiras etapas com enorme autoridade. A pensionista de Venâncio Nahid, para o bem da verdade, precisava apenas cumprir tabela tal a sua superioridade na geração. Pule de devolução de capital na pedra de apostas, a filha de Fluke e Buy Me Love, entrou na raia cercada de angustiante expectativa.

A gente sabe como a história do turfe as vezes pode ser traiçoeira e causar inesperadas desilusões. Mas, o belo prado carioca não foi palco de nenhum tipo de decepção para os verdadeiros turfistas. Aqueles que não são espíritos de porco e sempre torcem pelos grandes campeões. No Regrets foi corrida com excessivo cuidado por este excelente bridão Wesley Silva Cardoso, que a posicionou mais próxima das ponteiras do que de hábito. E ainda evitou ficar perto da cerca interna para fugir de indesejáveis prejuízos. Por isso, a extraordinária No Regrets atropelou apenas com ação suficiente para vencer sem qualquer tipo de susto. Não teve, entretanto, a mesma aceleração do Grande Prêmio Diana por ter atuado mais apurada do que gosta. E, sem fazer as curvas perto das linhas de dentro. Mas o excesso de zelo se justificava. A campeã não podia dar sopa para o azar. Era a quinta pedra preciosa que faltava na coleção da tríplice-coroa.

DERBY SENSACIONAL

Se o Grupo I das potrancas ficou restrito a conquista da tríplice-coroa, sem maiores atrativos em termos de disputa na raia, devido a facilidade do triunfo da grande campeã, no Derby as coisas foram bem diferentes. Os 100 metros finais do Grande Prêmio Cruzeiro do Sul foram eletrizantes. Vários concorrentes deixaram por frações de segundos a impressão que poderiam conquistar a maior consagração possível para um produto de 3 anos. Emperor Roderic, criado no modelar Haras Anderson, e propriedade do Stud Pedudu, foi o grande campeão, com diferença mínima sobre Voador Magee, do Stud Eternamente Rio, na melhor atuação de sua campanha. Agarrados com eles chegaram Enólogo, do Stud Sweet Dani, e Vico, do Stud Yatasto. Dois profissionais de exceção se consagraram neste triunfo tão importante. O brilhante treinador Ronaldo Lima, no apogeu de sua carreira. E o jovem Leandro Henrique, que aos 18 anos, depois de ser campeão da estatística, conquista o seu primeiro Derby. Parabéns a ambos!

PURO-SANGUE MELHOR APRESENTADO

Ausente das pistas desde o dia 12 de junho de 2.016, Invader, do Stud Estelinha, e criação do Haras Las Madres, deu um passeio na parceirada do Clássico Barão e Baronesa Von Leithner. Estado atlético magnifico do filho de Red Rock Canyon. O treinador Roberto Solanês fica sempre muito à vontade no preparo de corredores clássicos, sobretudo no percurso de 1.600 metros, onde costuma ser osso duro de roer com os seus pensionistas. Direção sublime deste fora de série nas rédeas, Ângelo Márcio Souza, colecionador de vitórias do calendário clássico nacional. Desde já, Invader deve ser olhado como autêntico bicho-papão nas provas da milha.

JOQUEADA DA SEMANA

Para o jóquei comum enfrentar os páreos importantes significa enorme sacrifício. Para os astros das rédeas, que nasceram para o ofício, acontece justamente ao contrário. Eles se sentem à vontade. Têm plena consciência de que será preciso utilizar as qualidades que Deus lhes deu. E, além disso, possuem a certeza que com os colegas pouco dotados de categoria vai acontecer o oposto. Eles vão tremer na hora agá. Afinal não possuem a classe indispensável para estas ocasiões. O páreo comum pertence a qualquer um que sabe se equilibrar em cima de um puro-sangue. Os páreos nobres pertencem as estrelas. Por isso, Ângelo Márcio Souza levou ao triunfo Discreto Belo, do Stud Golden Horses, no Clássico Coaraze. Um primor de direção. Fria, calculista e precisa para coroar a ótima apresentação de Daniel Lopes.

THUNDER CAT SEGUE INVICTO

No Clássico Jockey Club de São Paulo apenas três concorrentes tiveram a ousadia de enfrentar Thunder Cat, criado no Stud Alvarenga, e defensor do Stud Gold Horse. O filho de Desejado Thunder deu o quarto galope de saúde de sua curta e invicta campanha e deixou claro que o derrotar no tiro curto será tarefa das mais árduas para qualquer competidor. Parabéns ao treinador Adélcio Menegolo por manter o seu pensionista em forma esplendorosa.

APRENDIZES

Tem deixado boa impressão o aprendiz gaúcho Ariel Farias. Possui boa posição no dorso dos puros-sangues, tranquilidade para correr e expressivo rigor nos metros finais, bem semelhante a jóqueis já experientes. Bom desempenho com Simply, Sib Racing e Ignição na noturna de segunda-feira. Bom trabalho do agente Leandro Mancuso na captação de suas montarias. Victoria Mota assumiu a quinta posição na estatística carioca numa bela disputa direta com o tricampeão, Vagner Borges. No jornal “O Globo”, do último domingo protagonizou boa matéria, inclusive foi capa da revista. Dividiu espaço com Josiane Goulart, que também teve foto na capa da primeira página do importante jornal. O texto falou também das alunas Paola e Júlia. Boa a matéria e um espaço precioso conquistado para o turfe carioca. Victória evoluiu tecnicamente e as direções em Get Runner e Mimp comprovam isto. Parabéns ao professor Marcelo Cardoso. Em poucos meses fez a canhota de Victoria ficar bastante afiada. Vale conferir no filme da atropelada de Mimp. Bom trabalho de toda a equipe da escolinha de aprendizes.



<< Anterior Próxima >>











12.814

12.844





















Coudelaria Atafona

Coudelaria FBL

Coudelaria Intimate Friends

Coudelaria Jessica

Coudelaria Pelotense

Haras Iposeiras

Haras Depigua

Haras do Morro

Haras Fazenda Eldorado

Haras Old Friends

Haras Planície

Haras Vale do Stucky

Jorge Olympio
Teixeira dos Santos

Ronaldo Cramer
Moraes Veiga

Stud 13 de Recife

Stud Brocoió

Stud Cajuli

Stud Capitão

Stud Cariri do Recife

Stud Elle Et Moi

Stud Everest

Stud Gold Black

Stud Hulk

Stud Ilse

Stud La Nave Va

Stud Mengão 1981

Stud Palura

Stud Quando Será?

Stud Recanto do Derby

Stud Rotterdam

Stud Spumao

Stud Terceira Margem

Stud Turfe

Stud Verde

Stud Wall Street

  Associação Carioca dos Proprietários do Cavalo Puro-Sangue Inglês